Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ministro das Finanças argentino, Luis Caputo (C), fala com a imprensa em Nova York, em 19 de abril de 2017

(afp_tickers)

Um procurador argentino denunciou o ministro de Finanças Luis Caputo pelo delito de perjúrio ao Estado, devido à emissão de bônus da dívida pública a 100 anos, informaram fontes judiciais nesta terça-feira.

O governo de Mauricio Macri intensificou sua política de endividamento para financiar o déficit fiscal e os compromissos orçamentais, ao emitir um papel a 2,75 bilhões de dólares, que vence em 2117, com juros de 7,9%.

Os mercados reagiram com cautela.

Macri emitiu mais de 65 bilhões de dólares em bônus em 18 meses de governo, segundo consultorias privadas.

A denúncia contra Caputo foi apresentada por 14 deputados de oposição. Na Argentina, é comum usar processos judiciais como pano de fundo de disputas políticas.

O título a 100 anos foi vendido por 90 dólares a folha de 100, mas, em apenas sete dias, rendeu lucos de 4,6%, segundo fontes na bolsa.

Os juros do título serão pagos por 25 presidentes argentinos depois de Macri.

"Em 16 anos, os investidores vão recuperar o dinheiro, mas vão passar 84 só ganhando. Em janeiro foi emitido um bônus a 10 anos com juros de 6,8% ao ano. Não dá para entender por que pagam mais caro agora", disse o deputado opositor Carlos Heller.

AFP