Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A prisão militar de Guantánamo

(afp_tickers)

O procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, e o diretor de Inteligência Nacional, Dan Coats, visitaram nesta sexta-feira (7) a prisão militar americana de Guantánamo, em Cuba, diante de indícios de que o governo Trump poderá utilizá-la para abrigar novos detidos em operações contra o terrorismo.

Os dois altos funcionários americanos visitaram a prisão para se familiarizar com as operações em andamento, segundo funcionários locais.

O famoso complexo prisional, que o ex-presidente Barack Obama tentou fechar, não recebe novos prisioneiros há mais de uma década.

Logo após assumir a presidência, Donald Trump afirmou querer um local que estivesse ativo e que tivesse a capacidade de receber pessoas mal-intencionadas capturadas em operações na Síria, Afeganistão e outros lugares.

"Manter nosso país seguro perante os terroristas é a maior prioridade da administração Trump", declarou o porta-voz do departamento de Justiça, Ian Prior, em um comunicado.

AFP