Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A procuradora-geral Luisa Ortega

(afp_tickers)

A procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, advertiu nesta quarta-feira que manterá sua postura crítica ao governo, apesar das "ameaças" que assegura terem sido recebidas por ela e por sua família.

"Seguirei lutando. Se vão me destituir, que façam, com todas as ameaças que me fazem, que fazem a minha família, seguirei", desafiou Ortega nesta quarta-feira em uma entrevista à emissora venezuelana Venevisión.

A procuradora enfrenta um processo de destituição no Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), apresentado por um legislador do governo que a acusa de mentir em assinalamentos contra os magistrados dessa corte.

"Tenho um compromisso com o país [...]. Vou continuar nesta luta, não vão me parar, continuarei denunciando", acrescentou Ortega, que nas últimas semanas multiplicou as denúncias contra militares e pessoas próximas ao governo por supostas violações dos direitos humanos e por corrupção.

Em meio a este confronto, Ortega sustenta que na Venezuela foi instalado um "terrorismo de Estado", e pediu à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) medidas cautelares para ela, sua família e para os funcionários do Ministério Público, alegando ameaças.

AFP