Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O procurador-geral dominicano, Jean Alain Rodríguez

(afp_tickers)

A Procuradoria Geral da República Dominicana prometeu nesta quarta-feira à noite penas de prisão para os envolvidos nos supostos pagamentos de subornos da empreiteira brasileira Odebrecht para obter contratos de obras no país.

"Muito em breve o povo poderá comprovar que todo aquele que as provas apontem que foi beneficiado com os subornos que a Odebrecht admitiu que pagou no país será submetido à justiça encarcerado, sem importar quem for, nem o cargo ou filiação política", afirma a Procuradoria em um comunicado.

A Procuradoria informou que recebeu documentos do Brasil sobre as supostas propinas da Odebrecht, que serão comparados com os dados obtidos na investigação local do caso.

A Odebrecht admitiu que pagou 92 milhões de dólares em subornos a funcionários dominicanos de 2001 a 2014 por meio de seu representante comercial, Ángel Rondón, que foi interrogado pelas autoridades do Ministério Público dominicano.

O procurador-geral Jean Alain Rodríguez afirmou em 19 de abril que no máximo em 30 dias o MP teria em seu poder a lista de pessoas que a empreiteira supostamente subornou para obter contratos de obras públicas no país caribenho.

Desde 2002, a Odebrecht foi contratada pelo governo dominicano para realizar 17 obras, incluindo represas, autoestradas, avenidas e e aquedutos.

Com protestos, os dominicanos pressionam o Ministério Público a revelar os nomes dos subornados e que estes sejam processados.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP