Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Tropa de choque, no dia 12 de junho de 2014, em São Paulo

(afp_tickers)

A Polícia procurava, nesta terça-feira (21), 20 homens fortemente armados que durante a madrugada assaltaram uma empresa de transporte de valores no Recife e conseguiram fugir após um tiroteio de duas horas.

Por razões de segurança, a empresa saqueada, Brink's, não divulgou quanto dinheiro havia no cofre. Segundo a imprensa, os ladrões levaram o equivalente a 60 milhões de reais.

Os 20 suspeitos enfrentaram a Polícia durante duas horas, pelo menos, usando "armamento pesado que incluía fuzis AK47, .50 e 762", informou a Polícia Militar de Pernambuco em um comunicado enviado à AFP.

Três policiais ficaram levemente feridos.

As autoridades continuam fazendo "buscas em todas as possíveis rotas de fuga", acrescenta a nota.

Para chegar até a sede da Brink's, a quadrilha explodiu a parede de um posto de gasolina próximo.

Na nota enviada à AFP, a Associação Brasileira de Empresas de Transporte de Valores explicou que as empresas se submetem a um "controle estrito da Polícia Federal e têm tecnologias e procedimentos do mais alto nível", mas que "ainda assim não é possível impedir totalmente ataques planejados desse tipo".

Apesar da tensão gerada na população pelo ataque e pela perseguição em andamento, o secretário estadual de Defesa Social, Angelo Gioia, assegurou que o incidente não coloca em risco o Carnaval de Recife e Olinda, que espera reunir mais de 4,5 milhões de pessoas.

"Teremos mais de 31.000 policiais em ação durante o Carnaval", afirmou Gioia em entrevista à TV Globo.

AFP