AFP

(Arquivo) Fábrica de automóveis em Resende, Rio de Janeiro

(afp_tickers)

A produção industrial brasileira cresceu 0,6% em abril em relação a março, informou nesta quinta-feira o IBGE.

Esse é o primeiro resultado positivo da indústria nesse ano. Em março o setor havia registrado uma forte queda, de 1,3%.

O resultado, em dados corrigidos, ficou acima da expectativa média de 0,1% apontada por 38 economistas consultados pela agência Bloomberg.

Em comparação ao mesmo mês de 2016, a produção industrial de abril se contraiu 4,5%. De janeiro a abril, o saldo é de uma contração de 0,7%. Nos últimos doze meses, o retrocesso chega a 3,6%.

A indústria foi um dos setores mais atingidos pela recessão. Em 2016 se contraiu 6,6%, diante da queda do PIB de 3,6%.

O dado positivo de abril se soma a outros positivos que fortalecem a percepção de que o Brasil pode estar virando a página da recessão, embora ainda esteja imerso em uma grave crise política.

Na comparação de abril em relação a março, os maiores aumentos da produção industrial foram registrados nas categorias de bens intermediários (+2,1%) e de bens duráveis (+1,9%). Houve retrocesso na produção de bens semiduráveis e não duráveis (-0,8%) e de bens de consumo (-0,4%).

Por setores, a maior influência positiva no índice veio da indústria farmacêutica (+19,8%); de veículos (+3,4%); de coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (+2%) e maquinaria e equipamentos (+4.9%).

AFP

 AFP