Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Dinheiro confiscado, após o roubo de 8 milhões de dólares em Ciudad del Este, no dia 24 de abril de 2017

(afp_tickers)

Os criminosos que assaltaram uma transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai, levaram uma quantia de 8 milhões de dólares, informou a companhia nesta terça-feira.

Com base em informações da polícia, a imprensa especulava que o montante roubado poderia chegar a 40 milhões dólares, cerca de 120 milhões de reais.

"Depois de uma primeira recontagem, a quantia subtraída da empresa em Ciudad del Este (330 km a leste de Assunção) não supera os oito milhões de dólares", informou a Prosegur em um comunicado.

A multinacional explicou que a ação de seu pessoal, bem como as medidas de segurança, permitiram conter o assalto por mais de duas horas e limitar a ação dos assaltantes.

"O ataque não teve impacto sobre os serviços prestados pela Prosegur em todo o Paraguai. A empresa completou 100% dos serviços, apesar das circunstâncias excepcionais vivenciadas" em Ciudad del Este, garantiu a empresa.

Cerca de cinquenta homens armados, em sua maioria brasileiros, invadiram o edifício da Prosegur em Ciudad del Este e semearam o terror por cerca de três horas na população desta cidade, na tríplice fronteira com o Brasil e a Argentina.

O crime, ocorrido nas primeiras horas da manhã de segunda-feira, deixou quatro mortos, um policial paraguaio e três criminosos. Oito pessoas já foram detidas em fuga em território brasileiro.

O grupo incendiou 15 veículos em locais estratégicos em Ciudad del Este, como estratégia de distração, incluindo a entrada da delegacia, a 4 km do local do assalto.

Após o assalto, o comandante da polícia paraguaia, Luis Rojas, anunciou o desmantelamento da cúpula policial do departamento de Alto Paraná, cuja capital é Ciudad del Este.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP