Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Foto tirada em 14 de abril de 2016 mostra oferenda de incenso no Templo Lung Shan, em Taipé

(afp_tickers)

Cerca de 10.000 pessoas, segundo dados da polícia, se manifestaram neste domingo em Taipé, capital de Taiwan, contra a intenção do governo de limitar a queima de incenso para proteger o meio ambiente.

Cem templos do país, de maioria taoista e budista, participaram do protesto, alguns levando estátuas de deuses e outros tocando pandeiros.

O governo quer limitar a prática de queimar incenso, papel moeda e de lançar morteiros, mas os opositores afirmam que estes rituais são fundamentais em suas tradições religiosas.

"É muito importante, nossa religião se sustenta em queimar incenso", disse Cheng, um homem de 58 anos que viajou a Taipé para participar do protesto.

"Os deuses só podem sentir nossa veneração se queimarmos incenso. Acho que os carros e as fábricas contaminam muito mais", afirma à AFP Joyce Wu, uma mulher de 34 anos.

Os boatos sobre a proibição alarmaram muitos taiwaneses, embora na semana passada o Ministério do Interior tenha assinalado que não quer proibi-lo, mas favorecer outras alternativas.

"Levando em conta o espírito da tradição e os valores atuais de proteção do meio ambiente, pedimos aos grupos religiosos que tomem as medidas adequadas para reduzir a contaminação potencial", declarou o Ministério em comunicado.

No ano passado, durante uma peregrinação taoista no centro de Taiwan que durou nove dias, o governo detectou que o nível de micropartículas PM2.5, nocivas à saúde, era 60 vezes maior do que as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

AFP