Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(12 out) O presidente do grupo Kobe Steel, Hiroya Kawasaki (e), reúne-se com autoridades em Tóquio

(afp_tickers)

Quase 500 sociedades de todo o mundo foram afetadas pelo caso dos dados falsos sobre os produtos vendidos pelo Kobe Steel, indicou nesta sexta-feira a direção deste grupo siderúrgico japonês, embora sem precisar os nomes dos clientes prejudicados.

O presidente deste grupo japonês, Hiroya Kawasaki, reconheceu nesta semana que a sociedade fraudado, melhorando-os, os dados e as propriedades técnicas dos produtos que vende a centenas de empresas do mundo todo, entre eles o gigante do automóvel Toyota, assim como fabricantes aeronáuticos e grupos de defesa.

"O total subirá para cerca de 500 firmas" afetadas, estimou nesta sexta-feira Yoshihiko Katsukawa, um alto executivo de Kobe Steel, em coletiva de imprensa.

Vários grupos estrangeiros se viram afetados pelo escândalo de Kobe Steel, segundo afirma nesta sexta-feira o jornal Nikkei, que cita a fabricante europeia de aviões Airbus, as fabricantes de automóveis americanas General Motors e Tesla, a alemã Daimler, a sul-coreana Hyundai e as francesas Renault e PSA.

Devido a este escândalo a ação da Kobe Steel despencou nesta sexta-feira, a 8,73% na Bolsa de Tóquio, cujo índice geral fechou em alta (+0,96%). A Kobe Steel perdeu 40% de seu valor na Bolsa nesta semana.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP