Navigation

Quase metade dos americanos sofrem de doenças cardíacas, diz estudo

Cerca de 80% das doenças cardiovasculares podem ser prevenidas através de opções de estilo de vida saudáveis afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 31. janeiro 2019 - 22:42
(AFP)

Quase metade dos americanos sofrem doenças cardíacas, um aumento significativo em relação a anos anteriores, que se deve a uma nova definição da hipertensão, disse nesta quinta-feira (31) a Associação Americana do Coração (AHA, sigla em inglês).

O informe na revista Circulation afirmou que 121,5 milhões de adultos nos Estados Unidos tiveram "algum tipo de doença cardiovascular em 2016".

Por definição, as doenças cardiovasculares incluem a doença coronária, insuficiência cardíaca, infartos e pressão arterial alta.

Em 2017, a AHA e o American College of Cardiology atualizaram a definição de hipertensão para uma leitura de 130/80mm Hg. Antes era de 140/90 mm Hg.

Se a pressão alta fosse excluída das novas estatísticas, só 9% dos adultos americanos (24,3 milhões em 2016) entrariam na definição de doença cardiovascular.

A doença cardíaca é a principal causa de morte no mundo, e em 2016 tirou a vida de 17,6 milhões de pessoas.

A cifra global diminuiu levemente em comparação com a de 2015, quando 17,9 milhões de pessoas morreram por doenças relacionadas com o coração. No entanto, nos Estados Unidos as cifras vão na direção contrária.

Cerca de 80% das doenças cardiovasculares podem ser prevenidas através de opções de estilo de vida saudáveis, como a dieta, exercício, manter um peso saudável e não fumar.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.