Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) é "responsável" pelo desaparecimento dos jornalistas Diego D'Pablos, Carlos Melo e Salud Hernández, que tiveram o rastro perdido nos últimos dias na região de Catatumbo, nordeste da Colômbia, declarou o governo nesta quinta-feira.

Quatro guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) morreram em uma operação militar realizada nestes últimos dias no sudoeste da Colômbia - informou o Exército nesta segunda-feira (18).

"Fizemos operações militares contundentes, conjuntas, por parte da Terceira Divisão, uma unidade especial, a Força Aérea, a Marinha Nacional e a Polícia (...), onde quatro guerrilheiros da Frente José María Becerra (do ELN) morreram", disse à imprensa o comandante da Terceira Divisão do Exército, general Luis Fernando Rojas.

A operação militar conjunta faz parte de uma ofensiva das autoridades no departamento do Cauca, onde a estrutura guerrilheira atingida "se dedicava à extorsão, à mineração ilegal e ao tráfico de drogas", relatou Rojas.

O ELN é a segunda maior guerrilha do país, depois das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). No final de março, anunciaram que começariam uma negociação de paz com o governo de Juan Manuel Santos - paralelamente ao diálogo em curso com as Farc -, mas nenhuma mesa de diálogo foi instalada até o momento.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP