Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O quebra-gelo Almirante Irízar a caminho de resgatar cientistas americanos presos na ilha Joinville na Antártica, em uma foto distribuída pela Marinha argentina em 13 de março de 2018

(afp_tickers)

Cinco cientistas americanos que estavam presos na ilha Joinville da Antártica foram resgatados pelo quebra-gelo argentino Almirante Irízar, informou nesta terça-feira a marinha de guerra em seu site.

"A assistência foi realizada com sucesso através de quatro voos com helicópteros", a fim de trasladar os cientistas ao navio americano Laurence M. Gould, segundo o boletim oficial.

"A localização era muito próxima das bases Petrel e Esperanza da Argentina, no Golfo de Erebus y Terror", disse a Marinha.

Joinville está situada no extremo nordeste da península antártica. Os cientistas ficaram isolados em um acampamento que os abrigava "devido à notável presença de gelo em frente à Ilha", explicou a chancelaria argentina em um comunicado.

O Almirante Irízar estava realizando operações de abastecimento perto da Base Esperanza e se dirigiu para o acampamento do Programa Antártico dos Estados Unidos atravessando a enorme massa de gelo. O resgate foi realizado na manhã de domingo.

O quebra-gelo acaba de ser posto novamente em operação, após ser reconstruído devido a um incêndio que sofreu em 2007, e realiza missões de abastecimento e científicas.

A Argentina tem 13 bases no continente antártico.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.









Teaser Longform The citizens' meeting

Teaser Longform The citizens' meeting

The citizens' meeting

AFP