Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Dezesseis militares morreram na queda de um avião de transporte do Corpo de Fuzileiros (Marines) nesta segunda-feira (10) no estado americano do Mississippi

(afp_tickers)

Dezesseis militares morreram na queda de um avião de transporte do Corpo de Fuzileiros (Marines) nesta segunda-feira (10) no estado americano do Mississippi - confirmou o Exército dos Estados Unidos nesta terça-feira (11).

Trata-se do pior acidente envolvendo uma aeronave militar americana desde 2001.

"Um avião KC-130, utilizado para o abastecimento de combustível e transporte de tropas, do Corpo de Marines caiu perto do condado de LeFlore, Mississippi, em 10 de julho, provocando a morte de 16 membros do serviço", afirma um comunicado militar.

Um porta-voz dos Marines indicou que a causa do acidente está sendo investigada.

De acordo com a instituição, a aeronave havia decolado da base aérea de Cherry Point, na Carolina do Norte, e teria desaparecido dos radares de controle aéreo após entrar no espaço aéreo do Mississippi.

Não houve sobreviventes, indicou o diretor do serviço de emergência do condado de LeFlore, Fred Randle, à rede CNN, ressaltando que o local da queda ainda é perigoso em razão da presença de combustível.

No Twitter, o presidente americano, Donald Trump, chamou a notícia de "dolorosa".

"Melania e eu enviamos nossas profundas condolências a todos", tuitou.

O jornal local "Clarion-Ledger" informou que a tragédia aconteceu por volta das 16h (18h, no horário de Brasília) e acrescentou que bombeiros pulverizaram a aeronave com espessas camadas de espuma para apagar as chamas.

O avião caiu em uma plantação de soja no limite dos condados de Sunflower e de Leflore, completou o jornal.

Fotos publicadas na página on-line do "Clarion-Ledger" mostram colunas de fumaça negra emergindo de um campo.

A imprensa americana informou que agentes especializados do FBI também foram enviados ao local do acidente para ajudar nas investigações.

O governador do Mississippi, Phil Bryant, pediu em sua página no Facebook que "por favor, juntem-se a mim e à Deborah nas orações pelos que sofrem com esta tragédia. Nossos homens e mulheres militares se arriscam diariamente para garantir nossa liberdade".

Este é o acidente mais grave de um avião militar nos Estados Unidos desde 2001. Neste ano, um avião bimotor modelo C23 Sherpa caiu no estado da Geórgia, no sudeste do país, provocando a morte de seus 21 passageiros. Em 2000, os 19 ocupantes de um avião experimental MV22 Osprey morreram em um acidente durante uma missão de treinamento perto de Tucson, no Arizona (sudoeste).

Em janeiro de 2016, 12 marines morreram na colisão entre dois helicópteros perto da ilha de Oahu, no Havaí.

Os Marines informaram que as identidades dos 16 militares mortos na tragédia não serão reveladas até que todas as famílias sejam informadas sobre o ocorrido.

"Enquanto investigamos os fatos, nossa prioridade continua sendo a de proporcionar os recursos necessários e o apoio às famílias e amigos" dos soldados vítimas do acidente, indicou a corporação.

AFP