Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumaça observada na área da queda do helicóptero, uma zona de selva do noroeste da Colômbia

(afp_tickers)

A queda de um helicóptero matou 16 policiais nesta terça-feira em uma zona de selva no noroeste da Colômbia, durante operações contra o Clã Úsuga, principal grupo criminoso do país, informaram as autoridades.

"Quero lamentar esta terrível tragédia, na qual morreram 16 membros da nossa polícia e outros dois ficaram feridos. Nossos corações estão com suas famílias", disse o presidente Juan Manuel Santos, rejeitando qualquer especulação sobre a causa do incidente.

O ministro da Defesa, Luis Carlos Villegas, revelou que os policiais feridos - ambos com queimaduras de segundo e terceiro grau - estão "lamentavelmente" em estado grave.

Segundo a Polícia Nacional, "durante operações dentro da ofensiva Agamenón, contra o Clã Úsuga, uma aeronave Blackhawk caiu em uma zona entre Carepa e Chigorodó (departamento de Antioquia) com 17 ocupantes a bordo".

Villegas revelou que três helicópteros participavam da operação, na isolada região de Urabá, que deveria começar às 05H30 local (07H30 Brasília), mas atrasou devido às más condições climáticas na zona.

"No momento, a hipótese mais provável é um choque contra um morro a uma velocidade (....) de 180 km/h, possivelmente pela nebulosidade, já que o helicóptero ficou absolutamente destruído".

O ministro disse que se investiga a possibilidade de um ataque de terra, mas destacou que os demais helicópteros não escutaram ou receberam comunicação de disparos.

Na sexta-feira passada, um avião CASA 235 da Força Aérea Colombiana (FAC) caiu no departamento de Cesar, no norte do país, matando 11 militares.

Antes do acidente, o piloto comunicou pane em um motor, em meio a condições climáticas negativas.

O governo de Juan Manuel Santos realiza uma grande ofensiva contra o Clã Úsuga, surgido após a desmobilização em massa dos paramilitares de direita durante o primeiro mandato de Álvaro Uribe (2002-2006).

A Colômbia, que vive um conflito armado de mais de meio século, é o principal produtor mundial de coca, insumo para a elaboração da cocaína.

Segundo um recente relatório da ONU, a Colômbia produziu 442 toneladas de cocaína em 2014, 52% mais que no ano anterior.

AFP