AFP

(4 abr) Hospital destruído no suposto ataque químico em Khan Sheikhun

(afp_tickers)

Ao menos 15 civis, incluindo quatro irmãos, morreram neste sábado em um bombardeio lançado aparentemente pela coalizão internacional perto de Raqa, o principal reduto do grupo Estado Islâmico (EI) na Síria, afirmou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Outras 17 pessoas ficaram feridas neste ataque ocorrido em Heneyda, uma cidade nas mãos do grupo EI, embora o balanço possa se agravar, já que alguns feridos estão em estado crítico, segundo o OSDH.

O bombardeio pode ter sido realizado pela coalizão anti-extremista liderada pelos Estados Unidos na Síria e no Iraque, acrescentou o OSDH, que em cada ocasião tenta determinar os autores dos bombardeios em função do tipo de avião, da técnica de voo ou da munição utilizada.

Heneyda está localizada 25 quilômetros a oeste de Raqa e as Forças Democráticas Sírias (FDS), uma aliança curdo-árabe apoiada pela coligação, tentam se apoderar dela.

As FDS estão concentradas atualmente na conquista da cidade de Tabqa (40 km a oeste de Raqa), em cujo setor foram registrados combates no sábado, segundo o OSDH. No mês passado retomaram o aeroporto militar de Tabqa.

Além disso, o suposto ataque químico de terça-feira em Khan Sheikhun deixou 87 mortos, incluindo 31 crianças, de acordo com um novo balanço divulgado pelo pelo OSDH neste sábado.

AFP

 AFP