Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Corpos se espalham entre os destroços do avião

(afp_tickers)

O sistema de mísseis ucraniano estava ativo nesta quinta-feira, dia em que caiu um avião malaio com quase 300 pessoas a bordo no leste da Ucrânia, declarou nesta sexta-feira o Ministério russo da Defesa.

"Os meios de detecção eletrônicos russos registraram no dia 17 de julho uma atividade na estação de radar Kupol, que trabalha em conexão com os sistemas de mísseis Buk-M1", afirmou o ministério, citado pelas agências russas.

Segundo o ministério, esta estação de radar se situa a 30 km de Donetsk, a grande cidade do leste da Ucrânia próxima ao local da catástrofe aérea, em uma zona onde são registrados combates entre as forças ucranianas e os rebeldes pró-russos.

A fonte declarou que "as particularidades técnicas do Buk-M1 permitem a troca de dados sobre alvos aéreos com outras partes do mesmo sistema", acrescentou a fonte.

A partir deste momento, os disparos de mísseis podem ter ocorrido de vários locais.

O ministério não informa, no entanto, se algum disparo foi feito.

Após a tragédia, as autoridades de Kiev e os rebeldes se acusaram mutuamente de ser os autores de um eventual disparo de míssil, sem que exista até o momento nenhum elemento material que permita atribuir com certeza a responsabilidade a uma das partes em conflito.

AFP