AFP

(Arquivo) O presidente russo, Vladimir Putin

(afp_tickers)

O presidente russo, Vladimir Putin, alertou nesta terça-feira para futuras 'provocações' usando armas químicas que, segundo ele, estariam sendo preparadas na Síria com o objetivo de envolver o governo de Bashar al-Assad.

"Temos informações de várias fontes que tais provocações - não posso chamá-las de outra maneira - estão sendo preparadas em outras regiões da Síria, incluindo a periferia de Damasco, onde novamente planejam lançar algum tipo de substância para acusar as autoridades oficiais sírias de terem-nas utilizado", afirmou Putin durante coletiva de imprensa junto ao presidente italiano Sergio Mattarella.

Minutos depois, o ministério da Defesa russo acusou os rebeldes sírios de usar "substâncias tóxicas" nas regiões de Khan Sheikhun e da Guta oriental, perto de Damasco, para envolver o regime e provocar uma reação dos Estados Unidos.

"O regime de Bashar al-Assad não se interessa por usar armas químicas. Além disso, o exército não tem esse tipo de armamento, já que seu arsenal foi destruído entre 2013 e 2016 sob controle da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ)", segundo o ministério.

"Os especialistas da OPAQ confirmaram a destruição de dez das doze instalações usadas para armazenar e fabricar armas químicas. Os dois locais que restam ficam em território sob controle da suposta oposição", acrescentou.

AFP

 AFP