Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bandeira russa em Moscou

(afp_tickers)

A Rússia criticou as sanções impostas na sexta-feira pelo Canadá a 30 de seus cidadãos por casos de corrupção e prometeu medidas de represália.

O Canadá impôs sanções na sexta contra 52 funcionários de alto escalão e militares de Sudão do Sul, Rússia e Venezuela por violações dos direitos humanos e corrupção.

Trinta russos foram afetados por esta medida devido aos seus "atos de corrupção em grande escala em torno de uma fraude fiscal de 230 milhões de dólares revelada por Sergei Magnitsky em 2008", um jurista que morreu na prisão em 2009 em circunstâncias duvidosas, denunciadas pelo ocidente.

"Devemos responder com sanções militares", afirmou na sexta-feira à noite o Ministério russo das Relações Exteriores em comunicado.

O ministério russo disse que "proibiu a entrada na Rússia de dezenas de pessoas do Canadá", mas sem citar nomes.

A lei de justiça para vítimas de funcionários estrangeiros corruptos, também conhecida como "Lei Magnitsky", foi aprovada no Canadá em 18 de outubro. Os Estados Unidos aprovaram essa lei em 2012.

A Lei Magnitsky prevê sanções econômicas contras os funcionários russos suspeitos de envolvimento na morte do jurista.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP