Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foguete Proton-M é lançado do cosmódromo de Baikonur em 15 de fevereiro de 2014

(afp_tickers)

A agência espacial russa Roscosmos anunciou neste sábado ter perdido o satélite mexicano MexSat-1, após a ocorrência de uma falha no lançamento do foguete portador, o segundo problema do programa espacial russo em 24 horas.

"Depois que o foguete Proton-M foi lançado com o satélite MexSat-1, ocorreu uma situação de emergência. As razões estão sendo identificadas", disse a Roscosmos em um comunicado.

Uma fonte da agência espacial disse à agência RIA Novosti que a comunicação com o foguete foi perdida um minuto antes do satélite de telecomunicação se separar do terceiro estágio do Proton-M.

Segundo a fonte, o satélite não conseguiu se separar do foguete.

"O satélite mexicano está perdido. Os lançamentos de foguetes tipo Proton serão perdidos até que a razão da falha seja identificada", indicou a fonte da Roscosmos.

O lançamento ocorreu às 05h47 GMT (02h47 de Brasília) a partir do cosmódromo russo de Baikonur, no Cazaquistão.

Fragmentos do foguete, que continha várias toneladas de combustível tóxico, caíram na região de Chita, na Sibéria, embora a maior parte tenha se desintegrado na atmosfera, informaram fontes da agência espacial.

"Segundo dados confirmados, o terceiro estágio do foguete Proton-M, junto com o estágio superior Briz-M e o satélite mexicano caíram na região de Chita", disse uma fonte à agência de notícias Interfax.

"O terceiro estágio do Proton-M e o estágio superior caíram de uma altura de 160 quilômetros, isso deve bastar para que todos os fragmentos tenham queimado na atmosfera", acrescentou outra fonte à agência de notícias TAAS.

Trata-se da segunda-falha da agência espacial em 24 horas.

Horas antes, não foi possível ativar a tempo os motores de uma nave Progress M-262M, acoplada à Estação Espacial Internacional (ISS), que deveriam corrigir sua órbita, informou a Roscosmos.

"As razões estão sendo estudadas por especialistas no centro de controle de voos", declarou a Roscosmos.

Uma fonte da agência espacial declarou à RIA Novosti que na segunda-feira tentarão novamente colocar em funcionamento os motores da nave Progress, a menos que os controles encontrem problemas sérios.

Todos estes problemas ocorreram menos de um mês após um cargueiro espacial Progress não tripulado, que levaria provisões à Estação Espacial Internacional, perder contato com a Terra pouco depois de seu lançamento, em 28 de abril, e acabar se desintegrando na atmosfera no dia 8 de maio.

O acidente fez com que a Roscosmos adiasse o retorno de três astronautas da ISS que deveriam ter voltado à Terra na quinta-feira passada.

Outro cargueiro espacial Progress caiu na Sibéria pouco depois de seu lançamento em 2011. Além disso, Moscou também perdeu vários satélites comerciais.

AFP