AFP

(Arquivo) O estilista americano Ralph Lauren

(afp_tickers)

O grupo de prêt-à-porter americano Ralph Lauren cortará empregos e fechará lojas nos Estados Unidos, incluindo a principal de sua marca Polo na Quinta Avenida, em Nova York, como parte de um plano de contenção de gastos.

A Ralph Lauren não deu detalhes sobre o número de postos de trabalho nem de lojas envolvidas. Em um comunicado divulgado nesta terça-feira limitou-se a dizer que reduzirá sua folha de funcionários e que fechará escritórios e lojas.

As medidas anunciadas devem gerar uma economia de aproximadamente 140 milhões de dólares durante o ano fiscal que termina em 31 de março de 2018.

Uma das medidas simbólicas desse plano de austeridade é o fechamento da loja da marca Polo, na Quinta Avenida, o coração de Manhattan em Nova York.

A Ralph Lauren, contudo, manterá sete lojas na cidade.

As novas medidas devem gerar uma carga de 370 milhões de dólares, parte deles em indenizações por demissões, rompimento de contratos comerciais e depreciações de ativos.

As medidas fazem parte do plano estratégico de reestruturação anunciado pela empresa em junho do ano passado.

Como a maioria das marcas americanas de prêt-à-porter - Gap, Urban Outfitters, American Eagle, Abercrombie & Fitch -, a Ralph Lauren tem sido afetada pela forte concorrência da H&M e da Zara (Grupo Inditex).

A redução das vendas se deve também ao maior alcance do comércio online. A Ralph Lauren, que se separou em fevereiro de seu então diretor-gerente Stefan Larsson, decidiu confiar sua atividades digitais ao grupo Salesforce.com.

Em junho do ano passado, a Ralph Lauren anunciou uma redução de 1.000 postos de trabalho e o fechamento de 50 lojas.

AFP

 AFP