Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Refugiados palestinos recebem ajuda distribuída pela ONU, no sul de Damasco

(afp_tickers)

Os rebeldes sírios conseguiram expulsar os jihadistas do Estado Islâmico (EI) de quase toda a periferia de Damasco, embora eles ainda resistam em três redutos ao sul da capital, indicou uma ONG nesta segunda-feira.

Após uma ofensiva de três semanas, estes jihadistas ultrarradicais que controlam boa parte do território do norte e do leste da Síria e também do Iraque foram expulsos de quatro localidades do sudeste da capital síria por insurgentes moderados e radicais.

Os combatentes do EI foram expulsos de Mesraba e Maydaa, situados na região da Ghuta oriental, assim como de Yalda e Beit Sahem, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

"Os combatentes se entrincheiraram em Hajar al-Aswad, Tadamon e Qadam", bairros ao sul de Damasco, indicou Rami Abdel Rahman, diretor da ONG, que informou sobre combates nesta segunda-feira em Hajar al-Aswad e Qadam.

Desde o início da insurreição armada na Síria, a região de Damasco é um dos principais redutos da rebelião, que tenta há três anos derrubar o regime de Bashar al-Assad.

Apesar de muitas ofensivas, o exército, que conta com uma potente aviação e com o apoio do Hezbollah xiita, não conseguiu expulsar os insurgentes.

Desde sua aparição no conflito sírio em 2013, o EI não escondeu suas pretensões hegemônicas e enfrentou abertamente os rebeldes.

AFP