Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O prefeito do departamento dos Alpes Marítimos, Georges-François Leclerc, ao centro da foto, em fevereiro de 2017, em Nice, França

(afp_tickers)

Um número recorde de 350 atravessadores de imigrantes ilegais foram presos neste ano na fronteira franco-italiana perto de Menton, em média um por dia, anunciou nesta segunda-feira (4) o prefeito do departamento dos Alpes Marítimos, Georges-François Leclerc.

"Os atravessadores entre Ventimiglia e a França são detidos e punidos. Até à data, interpelamos e colocamos à disposição da justiça 350 atravessadores, o que é um recorde", declarou à rádio France Bleu Azur.

O número de detenções na fronteira também deve alcançar um recorde este ano, para quase 50 mil, de acordo com a prefeitura. Em Ventimiglia, os imigrantes testemunham que tentam a sorte, sendo presos e levados de volta à Itália várias vezes.

"São pessoas de toda a África que procuram viver no Ocidente. Nós as devolvemos à Itália", disse Leclerc.

Desacreditado duas vezes pela justiça administrativa, que constatou em março e em setembro casos de violação do direito de asilo, o prefeito assegura que as prisões "ocorrem em boas condições" e "respeitam plenamente a lei".

A nacionalidade dos atravessadores mudou ao longo de dois anos, inicialmente com tunisianos, egípcios e, em menor grau, pessoas de países do leste europeu, principalmente Albânia.

"Temos agora nacionalidades mais diversas, com paquistaneses, afegãos, italianos e franceses", afirmou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP