Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O diretor executivo da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, em Lisboa, no dia 8 de novembro de 2016

(afp_tickers)

O presidente da aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, anunciou na quinta-feira várias iniciativas para avançar em direção aos automóveis autônomos, e revelou um sistema capaz de restabelecer uma intervenção humana à distância em caso de problema insolúvel.

Em uma apresentação no salão da eletrônica CES de Las Vegas, Ghosn anunciou que a Nissan acrescentará funcionalidades de condução semiautônoma na próxima versão de seu carro elétrico Leaf, e o lançamento, neste ano no Japão, de aplicativos comerciais de veículos sem motorista.

"O próximo Leaf estará equipado com nossa tecnologia de condução autônoma PorPilot", indicou.

Esta tecnologia permite que o veículo conduza sozinho por uma estrada enquanto permanecer na mesma faixa, e representa a primeira etapa da estratégia do grupo para produzir carros que realmente dirijam de forma autônoma.

Por sua vez, a Nissan lançará testes neste ano no Japão, em colaboração com a empresa local DeNA, de usos comerciais, como as entregas com carros sem motorista.

Estes testes se ampliarão a outros países, com o objetivo do transporte de pessoas em Tóquio até 2020.

A Nissan também anunciou no CES uma nova plataforma, a Seamless Autonomous Mobility (SAM), inspirada em tecnologias da Nasa e que se acredita que permitirá que, quando não existir um motorista no carro, seja possível restabelecer um controle humano à distância nos poucos momentos em que a inteligência artificial não for capaz de encontrar uma solução sozinha.

"Não é um luxo, é uma necessidade", afirmou durante a apresentação Maarten Sierhuis, diretor do centro de pesquisas da Nissan no Vale do Silício.

AFP