O parlamentar republicano Will Hurd se distanciou neste domingo do presidente Donald Trump e dos membros de seu partido, ao considerar que o informante de identidade oculta não deve testemunhar em público.

Após semanas de audiências a portas fechadas, os comitês da Câmara de Representantes começarão na quarta-feira as audiências públicas na investigação de julgamento político a Donald Trump, que tenta determinar se o presidente pressionou o chefe de Estado ucraniano para que investigasse Joe Biden e seu filho Hunter.

Os republicanos do Comité de Inteligência da Câmara solicitaram ao seu presidente, Adam Schiff, a convocação do informante, que é integrante da comunidade de inteligência.

Hurd, um ex-funcionário da CIA, se manifestou neste domingo contra a convocação.

"Acho que deveríamos proteger a identidade do informante", disse Hurd à Fox News.

"Como o vamos tratar impactará nos informantes no futuro. Ter essa lei de informantes é importante".

Uma lei de 1989 protege funcionários do governo federal que reportem atividades ilegais, má administração, abuso ou perda de recursos.

No sábado, Schiff acusou os republicanos de realizar "investigações falsas sobre os Biden" e disse que não "facilitará os esforços do presidente para ameaçar, intimidar e fazer represálias contra o denunciante, que corajosamente ativou o alarme".

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.