Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vista aérea da região de Xochimilco, na Cidade do México, no dia 1º de abril de 2016

(afp_tickers)

Quatro túmulos pré-hispânicos, entre os quais encontram-se restos de uma mulher de ao menos 700 anos, foram encontrados na Cidade do México durante trabalhos de drenagem de esgoto no pitoresco bairro de Xochimilco, informou na quarta-feira o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH).

"É a primeira vez que são encontrados túmulos com este tipo de preparação mortuária nesta área de Xochimilco", um bairro do sul da Cidade do México que se caracteriza por seus canais e coloridos canteiros, informou a arqueóloga chefe do projeto, Sahira Rincón, por meio de um comunicado.

Estes restos, descobertos em 13 de maio durante os trabalhos de renovação do esgoto subterrâneo, "revelam que os xochimilcas enterravam seus entes queridos em suas casas, o que significa que no passado esta parte do centro de Xochimilco foi uma região residencial", explicou.

Os sepultamentos caracterizam-se por terem quatro etapas de preparação: a primeira de cerâmica doméstica ricamente decorada e acompanhada de lâminas de obsidiana, a segunda tem pedras vulcânicas, a terceira apresenta cerâmica com restos ósseos de animais e a quarta tem barro queimado, explicou o INAH.

Segundo as temporalidades do material cerâmico, os esqueletos foram depositados durante o período Pós-clássico Tardio (1300 d.C.).

Uma das ossadas corresponde a de "uma mulher de ao menos 700 anos", cujos restos estavam acompanhados de uma rica oferenda funerária composta por diversos objetos, como uma ponta de lança, várias lâminas de obsidiana verde e cinza e restos de animais, informou a instituição.

Os túmulos também incluem um menino de entre 15 e 17 anos, um homem que alcançou a quarta década de vida e uma menina de cerca de quatro anos, que apresentava cáries e danos severos em seus dentes de leite, provavelmente pela dieta que ingeriam, declarou por sua parte a arqueóloga Rosa María Alcántara.

A especialista explicou que o homem "tinha desgastes nas vértebras e nos ossos das mãos", provavelmente ocasionados pelo trabalho que desempenhou".

Xochimilco, que foi lar de diversos povos nahuas, sempre foi uma região de canteiros e seu cultivo demandava muito esforço e uma posição anatômica flexionada para plantar.

Durante o Pós-Clássico Tarido, Xochimilco foi um dos dois lagos de água doce dos sete que formavam a bacia do lago. Contudo, a riqueza de recursos naturais produzidos nesta área não beneficiava diretamente seus habitantes, devido ao fato que a grande parte de sua produção se destinava a pagar o imposto à Tripla Aliança, formada pelas grandes cidades de Tenochtitlan, Tlacopan e Texcoco.

AFP