Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Dilma Rousseff participa de entrevista coletiva durante cúpula da Rio +20, no Rio de Janeiro, em 22 de junho de 2012

(afp_tickers)

Os diálogos de acompanhamento da cúpula da ONU Rio+20, que serão celebrados na próxima semana, em Bogotá, estarão concentrados no desenvolvimento de cidades, meios de transporte e modelos de turismo sustentáveis, informaram os organizadores em nota de imprensa.

Mais de 4.000 pessoas são aguardadas no encontro, que se estenderá de domingo (10) a terça-feira (12) e ao qual assistirão dezenas de especialistas internacionais e mais de 150 delegados de governos.

Organizados após a cúpula Rio+20, celebrada em junho de 2012, no Rio de Janeiro, 20 anos depois da histórica Cúpula da Terra, em 1992, os diálogos buscam dar seguimento aos acordos fechados nesta reunião mundial, organizada pelas Nações Unidas.

Os prefeitos de Quito (Equador), Mauricio Rodas; de Santa Mônica (Califórnia, EUA), Sara Castro; e de Sucre (Bolívia), Moisés Torres, estão entre os convidados que "compartilharão a experiência de suas cidades em matéria de sustentabilidade".

Além disso, assistirão o próprio prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o coordenador residente da ONU na Colômbia, Fabrizio Hochschild.

A capital colombiana, como anfitriã, apresentará seus "projetos em transporte sustentável, tais como o piloto de táxis elétricos, a frota de ônibus híbridos (...), sistemas de metrô pesado, trem leve e teleférico, que funcionarão com alimentação elétrica", entre outros.

"Bogotá foi escolhida pelas Nações Unidas por seu compromisso com a sustentabilidade, através de seu Plano de Desenvolvimento Distrital: Bogotá Humana 2012-2016, no qual são contempladas políticas públicas para a mitigação e adaptação às mudanças climáticas, modernização do transporte público através de novos modais e tecnologias limpas, além de planos e projetos para fomentar o turismo sustentável", explicou Petro.

AFP