Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um operário ajusta os últimos detalhes em torno do local de visitação ao túmulo do rei da Grã-Bretanha Ricardo III, em Leicester, em 24 de julho de 2014

(afp_tickers)

O rei Ricardo III da Inglaterra, monarca do século XV cujos restos foram encontrados sob um estacionamento em 2012, será enterrado no dia 26 de março de 2015 na catedral de Leicester, no centro da Inglaterra.

A cerimônia, que será transmitida pela televisão, será o ponto culminante de uma semana dedicada a este rei de reputação terrível e que várias associações lutam para reabilitar.

O último rei da dinastia Plantagenet será transferido no dia 22 de março à Universidade de Leicester em um caixão de chumbo e dali partirá ao local onde foi registrada a batalha de Bosworth, na qual encontrou a morte.

Depois será instalada uma capela ardente de três dias na catedral de Leicester, aberta ao público, para prestar homenagem ao último rei medieval da Inglaterra.

A morte aos 32 anos de Ricardo III (monarca entre 1483 e 1485) colocou fim à Guerra das Duas Rosas, entre a casa de York e os Plantagenet. Embora seu corpo nunca tenha sido encontrado, segundo alguns documentos repousava em uma capela franciscana, destruída no século XVI.

Após sua morte, a coroa passou a Henrique VII e aos reis da dinastia Tudor que, com a ajuda de Shakespeare e de outros dramaturgos, descreveram Ricardo III como um vilão brutal e corcunda que não se detinha diante de nada, chegando a assassinar seus dois jovens sobrinhos para proteger o trono.

A Alta Corte de Londres decidiu em maio que o rei deveria ser enterrado na catedral de Leicester, rejeitando, assim, os pedidos de seus descendentes, que pretendiam enterrá-lo em York.

AFP