Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Sede da Polícia Federal, em São Paulo, no dia 21 de julho de 2016

(afp_tickers)

A polícia deteve nesta quinta-feira duas pessoas e cumpriu outros oito mandados judiciais, na segunda etapa da operação contra eventuais ataques terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio.

"Foram executados dois mandados de prisão temporária, cinco de busca e apreensão, e três de condução coercitiva. Todos os envolvidos são brasileiros", informa uma nota da Polícia Federal.

A chamada Operação Hashtag tem "o objetivo de garantir a segurança dos Jogos Olímpicos e o bem-estar dos cidadãos", afirmou a polícia.

A Federal não informou a identidade dos detidos, o local das prisões ou se houve apreensão de material.

Segundo a imprensa brasileira, as prisões ocorreram em São Paulo e estão ligadas à apologia do grupo Estado Islâmico. Os dois seriam ligados aos suspeitos detidos pela polícia no mês passado.

A primeira parte da operação foi deflagrada no dia 21 de julho, quando a polícia deteve dez membros de um grupo que trocava mensagens pelo WhatsApp e Telegram para coordenar preparativos visando ações violentas durante os Jogos do Rio.

Dias depois, a polícia deteve mais dois suspeitos. Os doze presos, todos brasileiros, estão na penitenciária de segurança máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Na ocasião, os ministros de Justiça e Defesa, Alexandre de Moraes e Raul Jungmann, qualificaram os detidos de célula "amadora e desorganizada". A inteligência brasileira não detectou qualquer contato direto com o grupo Estado Islâmico.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP