Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma foto divulgada pelo Instituto do Patrimônio Nacional da Tunísia e pela Universidade de Sassari em 31 de agosto de 2017 mostra arqueólogos mergulhando na costa de Nabeul, no nordeste da Tunísia, no local da antiga cidade romana de Neápolis

(afp_tickers)

Grandes ruínas romanas subaquáticas foram descobertas no nordeste da Tunísia, aparentemente confirmando uma teoria de que a cidade de Neápolis foi parcialmente submergida por um tsunami no século IV d.C.

"É uma grande descoberta", disse à AFP Mounir Fantar, chefe de uma missão arqueológica tunisiana-italiana que fez a descoberta na costa de Nabeul.

Ele disse que uma expedição subaquática encontrou ruas, monumentos e cerca de 100 tanques usados ​​para produzir garum, um condimento fermentado à base de peixe que era muito apreciado na Roma antiga.

"Esta descoberta nos permitiu estabelecer com certeza que Neápolis era um importante centro para a fabricação de garum e peixe salgado, provavelmente o maior centro do mundo romano", disse Fantar.

A equipe de Fantar começou a trabalhar em 2010 em busca do porto de Neápolis, mas só fez a descoberta das ruínas, que se estendem por mais de 20 hectares, neste verão, graças às condições climáticas favoráveis.

A descoberta também provou que no dia 21 de julho em 365 d.C. Neápolis foi parcialmente submersa por um tsunami que danificou gravemente Alexandria, no Egito, e a ilha grega de Creta, conforme registrado pelo historiador Ammien Marcelino.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP