Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2013) O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral

(afp_tickers)

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi condenado nesta quarta-feira a 45 anos e dois meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, com base na Operação Calicute, um dos desdobramentos da Lava Jato, que investigou contratos do governo do Rio com empreiteiras.

Além de Cabral, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, condenou outras 11 pessoas, incluindo a mulher do ex-governador, Adriana Ancelmo, sentenciada a 18 anos e 3 meses de prisão.

Cabral, detido em novembro passado, está preso em Benfica. Adriana Ancelmo cumpre prisão domiciliar em apartamento no Leblon.

Segundo o juiz Marcelo Bretas, Cabral foi o "idealizador do gigantesco esquema criminoso institucionalizado no âmbito do Governo do Estado do Rio de Janeiro, era o chefe da organização, cabendo-lhe essencialmente solicitar propina às empreiteiras que desejavam contratar com o Estado do Rio de Janeiro, em especial a Andrade Gutierrez, e dirigir os demais membros da organização no sentido de promover a lavagem do dinheiro ilícito".

Cabral já havia sido condenado a 14 anos e dois meses de prisão, pelo juiz Sérgio Moro, por corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo as empreiteiras Andrade Gutierrez, Odebrecht e Queiroz Galvão e um contrato de terraplanagem nas obras do Comperj.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP