AFP

Sírios seguram o retrato do presidente Bashar al-Assad, em Masada, em 17 de abril de 2017

(afp_tickers)

O governo de Bashar al-Assad classificou nesta terça-feira de "totalmente infundadas" as declarações dos Estados Unidos, que acusaram o regime sírio de usar o crematório de uma prisão para queimar os cadáveres de milhares de presos.

"Estas acusações são totalmente infundadas, são apenas o produto da imaginação desta administração e de seus agentes", declarou o ministério sírio das Relações Exteriores, segundo a agência de notícias estatal Sana.

"As sucessivas administrações americanas fabricaram repetidamente mentiras e acusações para justificar suas políticas agressivas e intervencionistas em outros países soberanos", acrescentou o ministério.

"Ontem, a administração dos Estados Unidos lançou um novo roteiro de Hollywood desconectado da realidade, ao acusar o Governo sírio de (...) construir um crematório na prisão de Saydnaya".

O Departamento de Estado publicou na segunda-feira imagens de satélite que, segundo ele, corroboram as informações sobre os massacres realizados nesta prisão ao norte de Damasco.

"No início de 2013, o regime sírio modificou um edifício no interior do complexo de Saydnaya para permitir" a construção de um crematório, em "uma tentativa de acobertar a magnitude dos assassinatos em massa ocorridos em Saydnaya", declarou Stuart Jones, subsecretário interino do Departamento de Estado para o Oriente Médio.

AFP

 AFP