Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Soldados israelenses durante simulação de conflito na colinas de Golã em 5 de setembro

(afp_tickers)

O ministro israelense da Defesa, Avigdor Lieberman, afirmou nesta terça-feira que Líbano e Síria constituirão "uma frente" comum contra seu país caso aconteça uma nova guerra na região.

O Hezbollah libanês e Israel se enfrentaram um devastador conflito em 2006. Atualmente, o movimento xiita libanês apoia militarmente o regime sírio de Bashar al-Assad na guerra civil na Síria.

Síria e Líbano tem fronteiras com o norte de Israel.

"Na próxima guerra no norte do país, o Líbano não será a única frente", disse Lieberman em um discurso aos soldados.

"Agora há uma frente no norte integrado por Líbano, Síria, Hezbollah, o regime de Assad e todos os que apoiam este regime", completou.

Lieberman completou que o exército libanês "perdeu sua independência e se tornou parte integrante do Hezbollah, que dá ordens".

O Hezbollah ainda é apoiado pelo Irã, grande inimigo de Israel na região, que também apoia o regime de Assad na Síria.

Desde 2008, Israel enfrentou três guerras contra o Hamas, que controla Gaza, e que também é apoiado pelo Irã.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP