Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos

(afp_tickers)

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nesta quinta-feira (3) que confia em poder alcançar acordos de paz com a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) no último ano que resta de seu mandato.

Após selar a paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Santos negocia um acordo similar com o ELN em Quito, que, caso se concretize, acabaria por completo com o último conflito armado do continente.

"Assim como com as Farc, tenho uma linha vermelha com o ELN que não vou ultrapassar em nenhuma circunstância, mas espero que possamos chegar a um acordo se existir a verdadeira vontade política" para isso, declarou Santos em coletiva na sede presidencial.

O presidente, que ganhou o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços de reconciliação com as Farc, iniciará o seu último ano de governo na segunda-feira (7).

No poder desde 2010, Santos está impedido legalmente de buscar uma nova reeleição e aponta terminar o seu mandato com um acordo com o ELN, a última guerrilha ativa do país.

As partes negociam desde 7 de fevereiro e atualmente discutem uma possível trégua visando a visita do papa Francisco em setembro.

Apesar das expectativas de Santos, o grupo rebelde colocou em dúvida a possibilidade de alcançar um acordo definitivo de paz antes das eleições presidenciais, no fim de maio de 2018.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP