Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ministro holandês das Relações Exteriores Bert Koenders (E) e o vice-ministro cubano das Relações Exteriores, em Havana, no dia 7 de maio de 2015

(afp_tickers)

O chanceler da Holanda, Bert Koenders, disse, nesta quinta-feira em Havana, estar "muito satisfeito" com o degelo das relações Cuba-Estados Unidos, e que seu país quer ser "incentivador" das negociações da ilha com a União Europeia (UE).

"A Holanda sempre foi crítica ao embargo (dos Estados Unidos) contra Cuba e estamos muito satisfeitos de saber que os primeiros passos foram dados para eliminá-lo", disse Koenders em coletiva de imprensa, durante sua visita oficial a Cuba.

Acrescentou que seu país foi "um dos atores importantes no estímulo e na promoção da próxima rodada de negociações entre Cuba e a União Europeia" e que busca assinar um acordo de Diálogo Político e Cooperação.

Durante sua estadia em Cuba, o chanceler holandês foi recebido pelo vice-presidente Miguel Díaz-Canel, e se encontrou com o vice-chanceler Marcelino Medina, com o ministro de Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro, Rodrigo Malmierca, além do cardeal Jaime Ortega, líder da Igreja Católica em Cuba, e dos "membros da sociedade civil".

Koenders afirmou que o objetivo de sua visita é "fortalecer os vínculos e construir pontes entre os dois países, identificar oportunidades econômicas, assim como intensificar nossas relações políticas".

A Holanda é o sexto parceiro comercial de Cuba, depois de Venezuela, China, Espanha, Canadá, e Brasil, com um intercâmbio bilateral de 543 milhões de dólares em 2013, segundo dados oficiais cubanos.

O chanceler disse que prepara uma visita de empresários de seu país a Cuba para o ano que vem, atendendo às possibilidades de investimentos e ampliação do comércio.

"Foi uma visita muito frutífera e produtiva baseada na forte relação que já existia", concluiu.

AFP