Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, durante coletiva de imprensa em Quito, no dia 1º de novembro de 2016

(afp_tickers)

O secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, solidarizou-se nesta segunda-feira (2) com os familiares das vítimas do motim carcerário no Brasil, que deixou pelo menos 60 mortos, e afirmou que uma reforma penitenciária é "inadiável".

"Nossa solidariedade com as vítimas e com os familiares do motim carcerário no Brasil, onde dezenas de pessoas morreram", escreveu Samper em sua conta do Twitter.

O secretário da Unasul defendeu uma reforma dos sistemas penitenciários.

"Os sistemas penitenciários se transformaram em fábricas de violação dos DH e escolas do crime. Sua reforma é inadiável!", apontou Samper em outra mensagem na mesma rede social.

O violento motim no presídio Anísio Jobim, em uma área periférica de Manaus, teve origem em confrontos entre facções rivais.

AFP