Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, durante coletiva de imprensa em Quito, no dia 1º de novembro de 2016

(afp_tickers)

O secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, solidarizou-se nesta segunda-feira (2) com os familiares das vítimas do motim carcerário no Brasil, que deixou pelo menos 60 mortos, e afirmou que uma reforma penitenciária é "inadiável".

"Nossa solidariedade com as vítimas e com os familiares do motim carcerário no Brasil, onde dezenas de pessoas morreram", escreveu Samper em sua conta do Twitter.

O secretário da Unasul defendeu uma reforma dos sistemas penitenciários.

"Os sistemas penitenciários se transformaram em fábricas de violação dos DH e escolas do crime. Sua reforma é inadiável!", apontou Samper em outra mensagem na mesma rede social.

O violento motim no presídio Anísio Jobim, em uma área periférica de Manaus, teve origem em confrontos entre facções rivais.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP