Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Membros do Conselho de Segurança da ONU votam resolução contra os jihadistas islâmicos no Iraque e na Síria - NY, 15 de agosto de 2014

(afp_tickers)

O Conselho de Segurança das Nações Unidas acrescentou nesta sexta-feira seis nomes à lista de extremistas procurados por suas ligações com a rede Al-Qaeda, incluindo membros dos grupos Estado Islâmico (EI) e Frente al-Nusra que operam no Iraque e na Síria.

1. Abdelrahman Muhamad Zafir al Dabidi al Jahani - enviado da Al-Qaeda na Síria.

Um dos criminosos mais procurados da Arábia Saudita. Em 2013, foi à Síria para oferecer o apoio oficial da Al-Qaeda aos jihadistas locais. Segundo o governo dos Estados Unidos, faz parte de um grupo que tenta aliar a Frente al-Nusra e o EI. É acusado pela ONU de ter "contribuído para o financiamento e a preparação de ações" cometidas pela al-Nusra e recrutar em nome desse grupo.

2. Hajjaj Bin Fahd Al Ajmi - tesoureiro da al-Nusra.

Esse kuwaitiano - que já foi alvo de sanções por parte dos Estados Unidos - é considerado responsável pelo suporte financeiro da al-Nusra na Síria. Suspeita-se que ele viaje regularmente entre Kuwait e Síria para transportar fundos e recrutar kuwaitianos para ocupar postos de comando na hierarquia dessa organização.

3. Abu Mohammed al Adnani - porta-voz do Estado Islâmico (EI).

Seu verdadeiro nome é Taha Sobhi Falaha, nascido em 1977 em Banash, perto de Aleppo (norte da Síria). Foi ele que anunciou em 30 de junho, em vídeos divulgados na Internet, o restabelecimento do califado nas terras sob controle do EI na Síria e no Iraque e convocou os partidários desse grupo a tomar Bagdá.

4. Said Arif - encarregado de recrutar estrangeiros para combater na Síria.

Nascido na Argélia, é considerado um dos principais recrutadores de combatentes estrangeiros para lutar contra as forças do governo na Síria.

Detido em Damasco em 2003 e extraditado para a França para ser julgado, ele foi condenado em 2007 por atos de terrorismo, mas fugiu em 2012, quando estava em regime de prisão domiciliar. Segundo a ONU, ele teria ligações com a al-Nusra.

5. Abdul Mohsen Abdallah Ibrahim al Sharekh - chefe da Al-Qaeda na Síria.

De nacionalidade saudita, mais conhecido como Sanafi al-Nasr, é suspeito de dirigir as operações da Al-Qaeda na Síria, com conexões no Paquistão.

6. Hamid Hamad Hamid al Ali - financiador da al-Nusra.

Com sede no Kuwait, a ONU o apontava como responsável por conseguir financiamento, armas e equipamento para al-Nusra e o Estado Islâmico.

AFP