Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O chileno Alexis Sánchez domina a bola em uma partida contra o Monaco, em 3 de agosto de 2014.

(afp_tickers)

Mesmo com a saída de Luis Suárez do Liverpool para o Barcelona, a Premier League foi o campeonato europeu que mais investiu em contratações na janela de transferências, com a chegada de jogadores que se destacaram na última Copa do Mundo, como o chileno Alexis Sánchez.

. Reforços de peso

O jogador que gera mais expectativa é o chileno Alexis Sánchez, que o Arsenal tirou do Barcelona por cerca de 40 milhões de euros. O atacante chileno brilhou na Copa e é a grande aposta dos 'Gunners', que acabaram com a seca de nove anos sem títulos na temporada passada ao conquistar a Copa da Inglaterra e sonham agora em ser protagonistas na Premier League e no cenário europeu.

O time mais ativo no mercado foi o Chelsea de José Mourinho, que contratou dois jogadores brasileiros do Atlético de Madri, o atacante Diego Costa, naturalizado espanhol, e o lateral esquerdo Filipe Luís. Outro reforço de peso veio da Espanha, o meia Cesc Fábregas (ex-Barcelona).

Os 'Blues' também trouxeram de volta o goleiro belga Thibaut Courtois, emprestado ao Atlético nas últimas três temporadas, que disputará a posição de titular com o tcheco Petr Cech.

. Apostas

Como sempre, os clubes ingleses não pouparam libras esterlinas para trazer novos talentos. O Liverpool trouxe duas promessas de 20 anos que prometem dar alegrias à sua torcida, o meia sérvio Lazar Markovic e o volante alemão Emre Can. O outro time da cidade dos Beatles, o Everton, trouxe o bósnio Muhamed Besic, de 21 anos, que fez uma ótima Copa do Mundo com a seleção do seu país.

Já o Manchester United aposta no talento do meia Ander Herrera, contratado por 36 milhões de euros junto ao Athletic Bilbao.

Revelado no Barcelona, o atacante Bojan Krkic, de 24 anos, não correspondeu as expectativas na Roma, no Milan ou no Ajax, e tentará finalmente deslanchar no Stoke City.

. Repatriados

Jogadores emblemáticos que saíram para outros países não resistiram à tentação de matar a saudade da Premier League. Formado nas categorias de base do Barça, Fábregas foi para o Arsenal com 16 anos e tornou-se ídolo da torcida dos 'Gunners'. Depois de oito anos na Inglaterra (2003-2011), voltou ao clube catalão. Mas agora retorna para jogar em Londres nesta temporada, no Chelsea, que o contratou por 37 milhões de euros.

Nos 'Blues', ele terá a companhia do marfinense Didier Drogba, que só conseguiu ficar dois anos longe da Premier League. Aos 36 anos, o atacante africano deixou o Galatasaray para voltar a trabalhar com Mourinho, com quem se sagrou bicampeão inglês em 2005 e 2006 com o próprio Chelsea.

O meia Franck Lampard, que tem a mesma idade de Drogba, deixou o Chelsea ao final da última temporada para assinar um contrato com o New York City FC, mas resolveu ficar mais seis meses na Inglaterra, defendendo o atual campeão Manchester City antes do início da nova temporada da Major League Soccer.

O argentino Mauro Zarate, que se destacou durante seis meses no Birmingham em 2008, terá a oportunidade de se firmar por mais tempo no West Ham, depois de passagens na Lazio e na Inter de Milão.

. Legião francesa

A contratação mais cara da temporada na Premier League foi a de um jogador que foi reserva da seleção francesa na última Copa do Mundo, o zagueiro Eliaquim Mangala, contratado por 50 milhões de euros pelo Manchester City junto ao Porto.

A Inglaterra continua sendo o destino favorito dos jogadores franceses. Só o Newcastle tem seis jogadores do país, com Rivière (ex-Mônaco) e Cabella (ex-Montpellier) se juntando a Sissoko, Marveaux, Ben Arfa e Yanga-Mbiwa.

Já Bafétimbi Gomis deixou o Lyon de graça para jogar no Swansea, do País de Gales.

. Desfalques

Como aconteceu no ano passado, a Premier League perdeu seu melhor jogador. Depois de Gareth Bale, que deixou o Tottenham para jogar no Real Madrid, foi a vez do uruguaio Luis Suárez ser contratado por outro 'gigante' do futebol espanhol, o Barcelona, que desembolsou mais de 80 milhões de euros para tirá-lo do Liverpool.

Seu desafeto, o francês Patrice Evra, que chegou a acusar o uruguaio de racismo, foi para a Juventus depois de oito anos no Manchester United. Os 'Red Devils' também perderam o sérvio Nemanja Vidic, contratado por outro clube italiano, a Inter de Milão.

AFP