Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os simpatizantes da causa separatista da Catalunha sacaram, de modo orquestrado, nesta sexta-feira, quantidades de dinheiro simbólicas ou substanciais dos bancos, em protesto contra o governo espanhol e os bancos que transferiram sua sede social da região

(afp_tickers)

Os simpatizantes da causa separatista da Catalunha sacaram, de modo orquestrado, nesta sexta-feira, quantidades de dinheiro simbólicas ou substanciais dos bancos, em protesto contra o governo espanhol e os bancos que transferiram sua sede social da região.

"É uma forma de protestar. Não queremos fazer nenhum mal à economia espanhola ou catalã", disse Roser Cobos, uma advogada de 42 anos que sacou 1.714 euros, em referência ao ano da toma de Barcelona pelas tropas do rei Felipe V, e a subsequente anulação das instituições autônomas as regiões que se opuseram.

"É a única forma que os catalães têm de mostrar seu desacordo com a atitude do Estado espanhol", acrescentou.

Duas associações separatistas, a Assembleia Nacional Catalã (ANC) e Omnium Cultural, convocaram os militantes nas redes sociais a várias "ações diretas pacíficas" para mostrar seu descontentamento com o governo de Mariano Rajoy, sobretudo retirando dinheiro, "de preferência entre 08H00 e 09H00".

Os líderes de ambas as associações - Jordi Sánchez e Jordi Cuixart, respectivamente - estão presos preventivamente como suspeitos de sedição.

A perspectiva de uma declaração unilateral de independência fez que centenas de empresas trasladaram suas sedes sociais em outubro, começando pelos dois grandes bancos catalães, CaixaBank, terceiro da Espanha, e Banco Sabadell, quinto.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP