Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A presidente do Parlamento da Catalunha, Carme Forcadell (c), participa de reunião com parlamentares em Barcelona

(afp_tickers)

Os partidos separatistas da Catalunha sugeriram nesta segunda-feira uma sessão plenária na quinta-feira para analisar a "agressão institucional" que, segundo eles, implica a intervenção do governo espanhol na autonomia regional, informou o porta-voz da maioria parlamentar.

Segundo Lluís Corominas, porta-voz parlamentar da coalizão no poder, Junts pel Sí (Juntos pelo Sim), a sessão plenária pode durar até sexta, quado o Senado espanhol se reúne para aprovar a destituição do governo regional proposta pelo executivo central de Mariano Rajoy.

A realização desse plenário era uma exigência da facção mais radical do separatismo na Catalunha, o partido de extrema-esquerda CUP, que alertou, em um comunicado nesta segunda-feira, que a intervenção do governo regional por parte de Madri terá uma resposta na "desobediência civil em massa".

Esta formação, apoio-chave do presidente regional Carles Puigdemont, assegura que a intenção do governo espanhol de destituir o executivo catalão e controlar seu parlamento "é a maior agressão contra a região desde a ditadura de Francisco Franco" (1939-1975).

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP