Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano, Donald Trump, em Hagerstown, em 18 de agosto de 2017

(afp_tickers)

O Serviço Secreto dos Estados Unidos enfrenta uma crise de liquidez pelos altos custos de proteção do presidente Donald Trump, suas várias casas e sua grande família.

Randolph "Tex" Ailes, o chefe do Serviço Secreto, declarou ao jornal USA Today que mais de mil agentes já chegaram a seu limite anual de salário e horas extras devido à carga de trabalho.

E com 150 presidentes e líderes estrangeiros que se reunião em setembro em Nova York para a Assembleia Geral da ONU< as demandas do serviço se intensificarão.

Trump viaja praticamente todo fim de semana para suas casas na Flórida, Nova Jersey e Virgínia. Além disso, o Serviço Secreto dá proteção a seus filhos adultos em viagens de negócio e férias.

No total, 42 pessoas de seu governo têmn proteçao do Serviço Secreto, incluindo 18 membros de sua família.

"O presidente tem uma família grande e nossa responsabilidade está fixada na lei", explicou Ailes.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP