AFP

Washington acompanha, com tensão, embate entre Trump e Comey por investigações do FBI

(afp_tickers)

O Serviço Secreto dos Estados Unidos informou nesta segunda-feira não ter gravações ou transcrições das conversas do presidente Donald Trump na Casa Branca, segundo The Wall Street Journal.

Trump insinuou novamente, na sexta-feira, que pode ter gravado suas polêmicas conversas com o ex-diretor do FBI James Comey.

O Serviço Secreto, que protege o presidente e sua família, mantinha um sistema de gravação de conversas na Casa Branca durante os mandatos de John F. Kennedy e Richard Nixon.

Mas em resposta a um pedido do jornal com base na Lei de Liberdade de Informação, a agência garantiu que não tem registros deste tipo para a administração Trump.

Em 12 de maio, três dias após demitir Comey, o presidente sugeriu em um tuíte que gravou suas conversas com o então diretor do FBI.

A advertência ocorreu após o próprio Comey revelar que mantinha anotações detalhadas sobre as conversas nas quais, segundo ele, Trump exigiu lealdade e o pressionou a abandonar uma investigação sobre o ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn.

Na sexta-feira passada, após o explosivo testemunho de Comey no Congresso, no qual reafirmou que foi pressionado para não investigar Flynn, o presidente chamou o ex-diretor do FBI de mentiroso e ao se referir às supostas gravações disse: "Talvez revele isto em um futuro muito próximo".

Nesta segunda-feira, o porta-voz da Casa Branca Sean Spicer não confirmou a existência das gravações, mas recordou que "o presidente deixou bem claro que em breve voltará a este tema".

AFP

 AFP