Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estudante tenta recuperar pertences após incêndio em colégio em 26 de junho no Quênia

(afp_tickers)

Sete estudantes do ensino médio morreram e outras 10 ficaram feridas neste sábado em um incêndio no dormitório de sua escola na capital do Quênia, Nairóbi, anunciou o ministro da Educação.

"Perdemos sete alunas neste triste incidente", declarou o ministro Fred Matiangi ao visitar o local do incêndio. "Outras 10 foram levadas ao hospital em razão de seus ferimentos".

Matiangi, que também é ministro do Interior, anunciou a abertura de uma investigação para estabelecer as causas do incêndio em um dos dormitórios do instituto Moi, um prestigioso centro que acolhe cerca de 1.000 estudantes com entre 14 e 18 anos, no bairro de Kibera.

O estabelecimento não funcionará nas próximas duas semanas e as alunas, muitas delas comovidas com a tragédia, voltarão para suas casas.

No primeiro semestre de 2016, uma série de incêndios criminosos foram provocados em escolas públicas no Quênia. Entre junho e julho do ano passado, 113 centros de ensino médio foram parcialmente destruídos em todo o país.

Na ocasião, a polícia prendeu 150 alunos e 10 professores, acusados de incêndio criminoso.

As motivações desses incêndios nunca foram reveladas, mas a imprensa queniana evoca várias hipóteses: represálias de um "cartel" associado ao lucrativo tráfico de resultados de provas, descontentamento diante da mudança do calendário escolar e protesto contra os métodos de Matiangi, considerado autoritário por alguns.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP