AFP

Militares observam os barracos destruídos pelo desabamento do lixão

(afp_tickers)

O balanço de vítimas do desabamento de uma montanha de lixo no Sri Lanka subiu para 29 mortos nesta segunda-feira, anunciaram as autoridades.

Sem muitas esperanças, centenas de soldados trabalhavam entre o lixo e 145 casas foram destruídas por esta catástrofe ocorrida na sexta-feira em Kolonnawa, rodeada por bairros pobres, a nordeste da capital Colombo.

Um balanço anterior falava em 28 mortos, mas a lista aumentou com a descoberta de outro corpo.

Sete pessoas continuam desaparecidas, de acordo com a polícia.

"Continuamos as buscas, mas não temos esperança de encontrar alguém vivo nestas condições", afirmou o porta-voz do exército, Roshan Seneviratne.

As autoridades levaram 1.700 pessoas para escolas próximas de modo temporário, à espera de uma solução de transferência permanente.

Os efetivos das forças de ordem foram reforçados por medo de saqueamentos. No total, 18 pessoas foram presas suspeitas de terem roubado bens materiais das vítimas.

No momento em que o país celebrava o tradicional Ano Novo cingalês tâmil, uma montanha de lixo de 91 metros de altura, desestabilizada pelas fortes chuvas e por um incêndio, desabou na sexta-feira e sepultou as casas.

Os moradores da área denunciaram várias vezes os problemas provocados ​​por este lixão ao ar livre, onde se acumulam 23 milhões de toneladas de lixo e que todos os dias recebe mais 800 toneladas.

AFP

 AFP