AFP

Dezenas de pessoas observam ônibus escolar acidentado na Tanzânia

(afp_tickers)

O acidente com um ônibus escolar no sábado no norte da Tanzânia matou 32 alunos, dois professores e o motorista, de acordo com um novo balanço divulgado pela polícia, que aponta a velocidade como provável causa da tragédia.

O balanço inicial de 29 mortos entre as crianças aumentou após a morte de três estudantes que não resistiram aos ferimentos, segundo informou no sábado à noite o chefe regional da polícia, Charles Mkumbo.

Três sobreviventes ainda estão hospitalizados, acrescentou.

"Os resultados iniciais da perícia mostram que o acidente se deveu à velocidade", indicou.

O acidente ocorreu na manhã de sábado no distrito de Karatu, localizado a 100 km da cidade de Arusha. O ônibus saiu da estrada e caiu no rio Marera.

Os alunos, no último ano da escola primária e com entre 12 e 14 anos de idade, estavam a caminho do local onde passariam por exames de seleção para o ensino médio.

O presidente tanzaniano John Magufuli apresentou suas condolências às famílias.

"Este acidente acabou com o sonho dessas crianças que se preparavam para servir à nação. É uma enorme dor para as famílias e também para toda a nação", declarou o presidente tanzaniano em um comunicado.

Este acidente é o mais mortal desde uma colisão, em março de 2015, entre um ônibus e um caminhão no centro da Tanzânia, no qual 42 pessoas morreram e vinte ficaram gravemente feridas.

Cerca de 3.500 pessoas morreram em acidentes de trânsito na Tanzânia em 2015, de acordo com estatísticas da polícia. A maioria dos acidentes são causados ​​por imprudência, excesso de velocidade, estradas e veículos em péssimas condições.

AFP

 AFP