Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Carros queimados nos incêndios em Rafina, perto de Atenas, na Grécia, em 26 de julho de 2018

(afp_tickers)

O balanço do incêndio que devastou, em 23 de julho, a região ao leste de Atenas, subiu para 94 mortos neste sábado (11), após o falecimento de uma das vítimas no hospital - anunciaram os bombeiros.

Mais de 30 pessoas continuam internadas, após o incêndio que castigou o balneário de Mati.

Quatro autoridades foram demitidas após a tragédia: o ministro da Ordem Pública e da Proteção dos Cidadãos, Nikos Toskas, e responsáveis da polícia e dos bombeiros.

O governo alega que foi difícil organizar uma retirada com ventos de mais de 120 km/h naquela data. Descobriu-se, porém, que a Polícia não isolou a área de forma adequada por não ter sido corretamente alertada pelos bombeiros sobre a proporção e a localização exatas do incêndio.

Vários motoristas ficaram presos nas ruas estreitas de Mati, enquanto moradores conseguiram chegar às praias para se proteger das chamas. Muitos permaneceram por horas nas águas até a chegada de socorro.

Uma investigação judicial foi aberta, e os pais de duas das vítimas também pediram que se investigue as autoridades por negligência.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP