AFP

Escultura "La valse" de Camille Claudel

(afp_tickers)

"La valse" de Camille Claudel, uma escultura de bronze de 46,7 cm de altura que representa um casal entrelaçado, foi adquirida por 1,18 milhão de euros pela sobrinha-neta da artista em um leilão celebrado na França.

"É Camille! É toda a minha vida, Camille... é brilhante!", exclamou muito emocionada Reine-Marie Paris ao fim do leilão em que outras cinco pessoas disputaram a obra de 1900.

Com os encargos, o valor da venda chega a 1,463 milhão de euros. "É um recorde mundial para uma obra deste tamanho", comentou Aymeric Rouillac, o organizador do leilão celebrado no castelo de Artigny, em Montbazon. Segundo Rouillac "é o mais belo exemplar conhecido dos cinco fundidos em bronze desta época".

A escultura representa uma mulher vestida apenas com uma saia comprida dançando com um homem totalmente nu. "La valse" foi considerada indecente em sua época e deixada dentro de um armário pela família de seu primeiro proprietário, Joseph Allioli. Em abril deste ano ela reapareceu.

Futuramente, a escultura se juntará à coleção do museu dedicado a Camille Claudel em Nogent-sur-Marne, na região parisiense, informou Paris, que cedeu a esse estabelecimento numerosas obras de sua coleção privada. "Com o museu, Camille (Claudel) será conhecida no mundo todo", comemorou a sobrinha-neta.

Reine-Marie Paris, neta de Paul Claudel -poeta e irmão de Camille- informou que coleciona obras de sua tia-avó "desde os 20 anos". "Não herdei nenhuma obra, mas comprei 70 no total, e conservei 23" (24 com "La valse"), explicou.

"Minotauro" de Auguste Rodin, amante de Camille Claudel, foi comprado por 73.000 euros no mesmo leilão, abaixo do lance mínimo de 80.000 estabelecido pelo vendedor. A escultura data de 1886, três anos depois de seu encontro com Claudel.

AFP

 AFP