AFP

Esta revolta ocorre um dia após o chefe do Estado-Maior do Exército, general Touré Sekou, ameaçar os amotinados com "severas sanções disciplinares"

(afp_tickers)

Soldados rebeldes de Bouaké (centro da Costa do Marfim), epicentro de recentes motins, dispararam para o ar a noite toda e bloquearam na manhã deste sábado o acesso à segunda cidade do país exigindo o pagamento de prêmios, constatou a AFP.

Esta revolta ocorre um dia após o chefe do Estado-Maior do Exército, general Touré Sekou, ameaçar os amotinados com "severas sanções disciplinares".

Os amotinados, ex-rebeldes integrados no exército, exigem o pagamento de prêmios que haviam sido prometidos pelo governo ao término de outras revoltas ocorridas em janeiro no país.

Bouaké foi a capital de rebeliões desde 2002. Grande parte destes rebeldes, que apoiaram o presidente Alassane Ouattara na crise de 2010-2011 contra o ex-presidente Laurent Gbagbo - que se recusava a reconhecer sua derrota eleitoral - foram integrados posteriormente no exército.

Foi este contingente de 8.400 homens que lançou a revolta de janeiro passado.

Neste sábado, os amotinados disparavam esporadicamente para o ar no interior da cidade, onde os bancos e as lojas não abriram suas portas.

AFP

 AFP