Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A sonda espacial Rosetta captou uma imagem de seu robô Philae parado em uma fenda escura na superfície do cometa 67P

(afp_tickers)

A sonda espacial Rosetta captou uma imagem de seu robô Philae parado em uma fenda escura na superfície do cometa 67P, anunciou nesta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA).

A 2,7 km de distância em sua aproximação ao cometa, a menos de um mês de concluir sua missão, a câmera de alta resolução Osiris da Rosetta conseguiu localizar Philae, que não dá sinais de vida desde junho de 2015.

"Mal posso acreditar o que vejo com meus próprios olhos Osiris! Finalmente consegui esta imagem de Philae, em 2 de setembro, a 2,7 km de distância do 67P", tuitou a Rosetta.

Após 10 anos de viagem como passageiro da sonda Rosetta, Philae havia conseguido um marco histórico ao pousar no cometa 67P Churiumov-Guerasimenko em 12 de novembro de 2014.

No entanto, a manobra foi muito abrupta e Philae quicou duas vezes na superfície ante de ficar imobilizado sobre o corpo celeste, de forma irregular e 4 quilômetros de diâmetro.

O imprevisto fez com que Philae ficasse parado em uma zona de relevo acidentado e pouca exposição à luz solar.

O robô esgotou suas baterias ao enviar à Rosetta o resultado de 60 horas de observações, e depois adormeceu.

Em junho de 2015 voltou a despertar, mas desde 9 de julho daquele ano não deu sinais de vida.

Mais de um ano depois, Rosetta se prepara para encerrar, por sua vez, a sua missão, ao também pousar sobre o cometa em 30 de setembro.

- Na reta final -

A imagem obtida nesta aproximação final "mostra a orientação de Philae, explicando porque estabelecer as comunicações foi tão difícil", indicou a ESA.

"Faltando apenas um mês para o fim da missão Rosetta, estamos felizes de ter localizado Philae e de poder observá-lo com tantos detalhes", disse Cecilia Tubiana, integrante da equipe que monitora o trabalho da câmera Osiris e a primeira pessoa a advertir para a presença do robô inerte em imagens recebidas no domingo pela ESA.

"Estávamos começando a pensar que Philae ficaria perdido para sempre. É incrível que tenhamos captado no último minuto", disse Patrick Martin, diretor de missão da agência espacial.

O cometa atualmente se afasta do Sol e continuará fazendo isso em sua órbita elíptica até 850 milhões de quilômetros de distância.

Antes de pousar no cometa, Rosetta continuará capturando imagens de alta resolução e em tempo real e fará medições científicas.

Os cientistas na Terra terão a oportunidade de reunir mais dados que apenas um encontro próximo pode fornecer.

Uma vez em contato com a superfície do cometa, cessarão as comunicações e as operações da Rosetta.

O encontro com o cometa colocará fim a uma aventura sem precedentes na história da conquista espacial, que forneceu dados capazes de melhorar nossos conhecimentos sobre o surgimento da vida na Terra.

Projetada há mais de 20 anos, a missão buscava compreender melhor o Sistema Solar desde seu nascimento, já que se considera que os cometas são vestígios de sua matéria primitiva.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP