Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Sony almeja um lucro líquido de 380 bilhões de ienes, ou 3,4 bilhões de dólares, para o ano fiscal até março de 2018 - ante um recorde de 369,4 bilhões de ienes de uma década atrás

(afp_tickers)

A Sony disse nesta terça-feira (31) que espera alcançar um lucro anual recorde, à medida que estimula uma reviravolta pela divisão de jogos da PlayStation e um crescente negócio de peças de smartphone, enquanto também registrou um sucesso com o último filme do Homem-Aranha.

Superando as dificuldades do passado, a gigante eletrônica, fabricante do PlayStation, almeja um lucro líquido de 380 bilhões de ienes, ou 3,4 bilhões de dólares, para o ano fiscal até março de 2018 - ante um recorde de 369,4 bilhões de ienes de uma década atrás.

Ela também espera que o lucro operacional seja mais alto que nunca, a 630 bilhões de ienes, batendo um recorde estabelecido há 20 anos.

O lucro líquido no terceiro trimestre de 2017 foi 27 vezes mais alto que no ano anterior, enquanto a receita líquida subiu 22%.

O lucro operacional mais que quadruplicou no período, em parte devido a uma recuperação após terremotos no sul do Japão afetaram a produção no ano passado.

A companhia baseada em Tóquio citou resultados melhores nos negócios de semicondutores, que incluem os sensores de imagens usados em câmeras de smartphones.

Os resultados marcam um retorno da gigante de eletrônicos e entretenimento, que sofreu com prejuízos enormes nos últimos anos.

Para tentar controlar as perdas, a Sony cortou milhares de empregos e vendeu ativos, como sua unidade de laptops Vaio e sua sede americana em Manhattan.

A Sony perdeu cerca de 1 bilhão de dólares em sua unidade de filmes no ano passado, após várias decepções nas bilheterias. Mas o cenário parece estar mudando.

"As vendas de filmes aumentaram significativamente devido ao forte desempenho mundial de 'Homem-Aranha: De Volta ao Lar'", afirmou a empresa em comunicado.

A forte divisão de jogos, que inclui o console PlayStation, o mais vendido do mundo, pode estar esfriando diante da dura concorrência da Nintendo, sua rival nacional, com o mais novo console, Switch.

"O setor de jogos foi há muito tempo o motor de ganhos da empresa, mas o impulso está diminuindo, em parte devido ao forte impacto do Nintendo Switch", disse Yasuo Imanaka, analista da Rakuten Securities em Tóquio, à AFP.

"Também nos concentramos em como os negócios de filmes se recupera, o que compensaria qualquer desaceleração em sua unidade de jogos".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP