Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Modelo apresenta criação da Borana durante o São Paulo Fashion Week em 30 de agosto de 2017

(afp_tickers)

Modelos de diferentes idades, debate sobre conceito de beleza, volta às raízes, colaboração de comunidades dedicadas ao artesanato e críticas à "ditadura" da moda marcaram a 44ª edição da São Paulo Fashion Week (SPFW), concluída na quinta-feira.

O encontro mais importante da moda brasileira começou no final de semana com desfiles fora da Bienal do Ibirapuera, local do evento.

A tendência foi exposta por marcas como Animale, que pela primeira vez levou o público a sua principal loja para apresentar os 21 looks de sua coleção inspirada no Vietnã.

Gloria Coelho, dona da marca que leva o seu nome, apresentou a nova linha - "The Crown" - fora do palco da SPFW, levando para as passarelas mulheres de diferentes idades para defender uma moda "mais inclusiva".

O estilista de Minas Gerais Ronaldo Fraga apresentou sua primeira linha exclusivamente de praia, após duas edições consecutivas de desenhos voltados para temas como transfobia e refugiados.

Fraga apresentou um desfile transgressor, como modelos de diferentes tamanhos e idades, incluindo amputados que exibiram roupas de banho em tons escuros.

"Na moda de praia todas as pessoas têm o corpo perfeito, mas na verdade a perfeição não existe. A minoria da minoria tem esse corpo, por que no Brasil todo mundo quer ser chique nesses tempos áridos e difíceis?" - questionou Fraga.

O estilista apresentou uma camiseta branca simulando um ferimento por tiro com a frase: "Mr. Presidente, você não pensa no Brasil, pense nos netos do Michelzinho" - em alusão ao decreto que abriu uma área de 47.000 km2 da Amazônia à exploração mineral, posteriormente anulado.

- Beleza para todos os gostos -

A marca de cosméticos Natura, patrocinadora da SPFW, aproveitou a Semana da Moda para abrir a discussão sobre o conceito de beleza no Brasil.

Sob a hashtag #TodaBelezaPodeSer, Natura convidou os internautas a opinar sobre o que é beleza. O resultado foi uma linha criada em tempo real sob a direção da estilista Apolinário, da marca Cemfreio. O desfile, que mostrou silhuetas diversas, marcou o encerramento do evento, na noite de quinta-feira.

Outros destaques da semana foram peças de Helô Rocha e da brasileira instalada na Austrália Vanessa Moe, que incorporaram bordados e elementos artesanais de comunidades do nordeste do Brasil e da Oceania, respectivamente.

Contra a "ditadura da moda", Alexander Herchcovich e Fábio Sousa apresentaram no sábado uma variedade de looks para o verão que foram da roupa das ruas até os vestidos de noite.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP